Publicado em 2 de December de 2014
Giovana Massetto

Passar pelo processo de certificação já é algo comum para a maioria das empresas florestais do país. De acordo com o FSC, o Brasil possui aproximadamente 6.4 milhões de hectares certificados na modalidade de manejo florestal e envolve 103 operações de manejo, entre áreas de florestas nativas e plantadas. Este dado é referente a outubro de 2014. Pelo Cerflor/PEFC são mais de 2,2 milhões de hectares de florestas plantadas manejadas.

Mas além de padronizar as operações e garantir que a floresta está sendo manejada de forma responsável, as certificadoras buscam atestar que as atividades das empresas estão sendo realizadas levando em consideração as pessoas envolvidas na questão. Graças à certificação, está ocorrendo de forma mais efetiva a abertura do diálogo entre a empresa e os representantes das comunidades.

Aspectos analisados

O fato é que nos últimos anos, as empresas já passaram pela padronização da silvicultura e colheita, e agora é a vez das estradas. Porém, no que diz respeito a elas, a situação é mais complexa porque envolve os danos irreversíveis gerados ao meio ambiente e as comunidades que estão em seu entorno. A construção de estradas altera os fluxos da flora e fauna da região onde a floresta é implantada, a certificação ajuda a minimizar o máximo possível estes danos.

Por este motivo, os auditores levam em consideração três aspectos durante a avaliação das atividades relativas à construção e manutenção de estradas: requisitos legais, requisitos relacionados às boas práticas da certificação e requisitos relacionados à segurança.

Quando as leis são levadas em consideração, as empresas devem estar atentas aos licenciamentos da atividade florestal estadual, afinal a construção das estradas faz parte das atividades licenciadas. Já quando o aspecto analisado tem relação com as boas práticas, a recomendação é que a empresa disponha de um procedimento para a construção e manutenção de estradas e tenha uma pessoa designada como responsável por esta atividade.

Quando os requisitos relacionados à segurança estão em pauta, a questão social ganha mais destaque, afinal além de largura adequada e curvas que permitam maior visibilidade e segurança para o tráfego, deve haver sinalização de advertência nos trechos de estradas internas….

Confira a reportagem completa publicada na B.Forest – Colheita, Transporte e Biomassa:

Link para visualização: clique aqui!

Link para download: clique aqui!

Fonte: B.Forest - Colheita, Transporte e Biomassa Florestal