Publicado em 24 de March de 2014

Trabalho publicado na Biomass and Bioenergy, Vol. 62 (2014), intitulado “Managing chipper knife wear to increase chip quality and reduce cost” – “Gerenciando o Desgaste das facas do Picador para Aumentar a Qualidade dos Cavacos e Reduzir Custos”, teve como objetivo mensurar a eficiência do picador de tambor em função do afiamento das facas. 

            O picador utilizado é um Biber 70, com um tambor 860 mm de diâmetro, acoplado a um trator com tomada de potência de 204 hp. As facas utilizadas foram compatíveis para toras de grande diâmetro, resultando em menores danos a faca de corte. A característica da madeira utilizada é proveniente de resíduos de madeira das serrarias, variando seu comprimento entre 1 a 4 metros. A umidade do cavaco variou entre 18 e 40%. Durante o trabalho, as facas foram removidas e realizadas afiação úmida, porém no decorrer do trabalho foram realizadas afiações a seco com um afiador portátil, nessa operação não houve a necessidade de retirar as facas do picador.
            Realizando a rotatividade das facas, o tempo médio de uso foi de 1.176 horas antes de uma afiação, sendo realizada no estudo 49 vezes essa atividade. Ficou estimado o uso da barra de aço, que propicia suporte e resistência ao corte das facas, em 60% a mais do que as facas de corte. Os resultados apresentaram que o desgastes das facas ocasionou uma perda de 20% em produtividade, além da redução na qualidade do cavaco. A afiação a seco ocasionou a redução dessa perda de produtividade, mas não apresentou o mesmo efeito que na afiação úmida. O aumento da frequência da afiação úmida gerou elevação dos custos da operação, porém propiciou um incremento na produtividade e qualidade do cavaco.
            Para ter acesso ao trabalho completo clique aqui.
Fonte: Logging-on
Texto: Nathan S. Sanches – Equipe Colheita de Madeira