Publicado em 31 de janeiro de 2017
Luciano Simão

A luz no fim do túnel

O setor brasileiro de florestas plantadas demonstrou sua força ao suportar, sem perdas expressivas, os impactos da crise política e econômica que estancou o crescimento do Brasil nos últimos anos, e que se manteve preocupante em 2016.

Embora a situação atual indique que o ano que se inicia trará mudanças neste cenário, apresentando aos investidores uma possível luz no fim do túnel da recessão nacional, é preciso cautela e paciência, pois não é no curto prazo que este panorama mudará drasticamente.

A nível nacional, o novo governo se consolida e se mostra favorável a propostas benéficas ao setor florestal, como a liberação da compra de terras por estrangeiros. Na esfera internacional, a imprevisibilidade do governo Trump nos EUA e a ascensão de políticas protecionistas nas grandes potências europeias (como o Brexit) podem, a longo prazo, fornecer desafios para a manutenção da competitividade brasileira no mercado mundial.

Estamos passando por um momento em que o profissional do setor florestal brasileiro deve ter paciência, conter a ansiedade e buscar um otimismo sóbrio, realizando o  que está ao nosso alcance, com a responsabilidade que nos cabe, para que as mudanças necessárias aconteçam.

Neste contexto, a boa gestão de recursos humanos deve desempenhar um papel mais crucial do que nunca, tanto na necessidade de programas bem estruturados de recrutamento e seleção quanto na motivação efetiva de todos os colaboradores das empresas. Saiba mais sobre estes e outros temas nas reportagens desta edição.

E o primeiro entrevistado de 2017 é Moacyr Fantini Jr., diretor florestal da Veracel, que discute sua trajetória e as expectativas para o novo ano. Leia a entrevista na íntegra e confira os vídeos e notas para começar o ano atualizado com as tendências do setor.

Saudações florestais!

Para ter acesso à revista, clique aqui!

Para fazer o download, clique aqui!

Fonte: Malinovski