Publicado em 16 de dezembro de 2016
Luciano Simão

O ano de 2016 foi marcado por instabilidade política, crise econômica e uma perda generalizada de confiança de investidores locais e estrangeiros no mercado brasileiro. Apesar dos sinais de tempos melhores no horizonte, a indústria nacional ainda deve sentir os efeitos deste ano conturbado nos meses vindouros. O setor florestal, mais resistente à crise do que muitos outros segmentos, também precisa extrair lições das adversidades nacionais para seguir prosperando no futuro.

Uma das possibilidades para este futuro é o projeto de lei que visa à alteração das normas vigentes em relação à compra de terras agrícolas e florestais brasileiras por estrangeiros. Caso aprovado, poderá resultar na liberação de mais de R$ 50 bilhões em novos investimentos no país.

Igualmente importante é conhecer os melhores métodos e novas tendências e tecnologias para operações vitais para o progresso do setor, como destoca, realinhamento e manejo de viveiros florestais. Saiba mais sobre estes e outros temas nas reportagens desta edição.

Ainda, o convidado de dezembro é o diretor florestal da Fibria, Caio Zanardo, que fala sobre as avançadas tecnologias utilizadas pela companhia em seus viveiros e as expectativas do setor para os próximos anos.

Saudações florestais!

Para ter acesso à revista, clique aqui!

Para fazer o download, clique aqui!

Fonte: Malinovski