Publicado em 2 de dezembro de 2015
Amanda Scandelari

Mesmo sendo uma potência florestal, o Brasil não utiliza motores com tecnologia de ponta. Isto porque óleo diesel disponível não permite que motores mais modernos sejam utilizados.

Fundamentais no funcionamento de qualquer máquina, inclusive nas florestais, os motores são responsáveis por todo o funcionamento do equipamento, ou seja, eles são os encarregados de transformar a energia química do combustível em energia mecânica. Essa energia mecânica é transferida para outros componentes, como bombas e motores hidráulicos, os quais executam todas as funções relativas à força do equipamento. Nas máquinas florestais os motores são movidos a diesel este pode ser considerado um entrave para as operações florestais tornarem-se mais eficientes.

A qualidade do combustível interfere diretamente na performance das máquinas, como também no intervalo de manutenções necessárias. De acordo com Luiz Fernando Bona, especialista florestal da PESA, dealer da CAT na região Sul, combustíveis de baixa qualidade, com grande quantidade de contaminantes e água levam a desgastes prematuros nos componentes do sistema de injeção, os quais trabalham com pressões elevadas e tem tolerâncias de fabricação muito pequenas.

Estes são os combustíveis disponíveis no Brasil. A maioria das empresas fabricantes de máquinas florestais se queixa da dificuldade em trazer novas tecnologias para cá devido a qualidade do diesel disponível. Os motores não precisam de adaptações para operarem aqui, mas as tecnologias utilizadas são relativamente ultrapassadas.

Para ter acesso a matéria inteira acesse a Revista B.Forest!

Para ter acesso a publicação: clique aqui!

Para fazer o download da revista: clique aqui!

Fonte: Revista B.Forest